Informação PCM-Portugal

O Pro Cycling Manager 2019 já está disponível! Podes acompanhar todas as novidades sobre o novo jogo da saga PCM nesta secção!

Data/Hora: 14 Nov 2019, 08:33

Os Horários são TMG [ DST ]




Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 463 mensagens ]  Ir para página 1, 2, 3, 4, 5 ... 31  Próximo

Qual a vossa opinião sobre o VP- PCM?
Péssimo 0%  0%  [ 0 ]
Medíocre 0%  0%  [ 0 ]
Razoável 24%  24%  [ 5 ]
Bom 52%  52%  [ 11 ]
Excelente 24%  24%  [ 5 ]
Total de votos : 21
Autor Mensagem
 Assunto da Mensagem: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 15 Jun 2016, 22:41 
Vencedor da Vuelta
Vencedor da Vuelta
Avatar do Utilizador

Registado: 05 Ago 2014, 15:09
Mensagens: 1996
Imagem

Depois de apresentar a ideia ao tozequio, e dele a ter aprovado e apoiado, venho partilhar com vocês a ideia e pedir-vos sugestões.
A ideia é abrir um concurso com o objectivo de criar uma volta a Portugal "unanime" entre os membros deste forum.
Após ter todas as etapas escolhidas,existe varias hipóteses a realizar, entre elas o envio em formato revista para o email da Federação e a criação dessas etapas para o PCM. (daí a colocação do tópico aqui).

Para que este concurso corra bem e de forma organizada vamos definir algumas regras simples.

Regras:
1. Um participante é livre de participar em todas ou apenas em algumas etapas.
2. Um participante não pode apresentar mais do que um perfil/mapa para cada etapa.
3. Cada etapa terá requisitos mínimos a serem respeitados (distância em etapas, delimitação da zona de partida, etc....) , em caso de falha, os organizadores terão de desclassificar esse perfil, no entanto poderá realizar um novo até as datas limites para apresentação de sugestões.
4. Cada etapa terá uma data limite para apresentar a sugestão de etapa, e posteriormente terá uma data limite para fecho das votações.
5. O formato do concurso será uma primeira fase de sugestão de cada etapa e em seguida votação para escolher o melhor percurso para essa mesma etapa. Após essa escolha inicia-se a etapa seguinte.
6. O participante deve publicar no tópico o seu mapa e o perfil da sua etapa, deve também acrescentar algum texto,video ou imagens que considere útil para "cativar" votos.
7. Em caso de empate entre os primeiros percursos , será aberta uma "2ª mão" de votação apenas com os participantes empatados, essa votação fechará após o mínimo de 15 votos, e sempre com votos impares (17,19,21,etc....)
8. Qualquer situação não descrita, ou omissa, será analisada pelos organizadores.






FORMATO DO CONCURSO: Etapa a Etapa
11 Etapas:
[list][*]Prólogo - 2/Agosto/17 (4ªFeira)
tozequio
Prólogo: Sagres - Sagres (7.9 km)
Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Localização geográfica
Imagem



A Volta a Portugal regressa ao Algarve, para o cenário deslumbrante da vila de Sagres! Banhada pelo Oceano Atlântico, a vila conta como grande atracção a Fortaleza de Sagres, que se localiza na Ponta de Sagres, num promomtório sobre o mar, considerado o extremo sudoeste do continente europeu. As vistas sobre o horizonte, que se estendem até ao Cabo de São Vicente, a oeste, são deslumbrantes. O final da etapa será precisamente em frente à Fortaleza, com uma paisagem circundante verdadeiramente fantástica, e que dará certamente excelentes imagens televisivas.

O prólogo tem praticamente 8 quilómetros, e permitirá assim que os verdadeiros especialistas na luta contra o cronómetro possam mostrar o seu valor, fazendo algumas diferenças perante ciclistas menos dotados no esforço individual. O percurso é praticamente plano, sendo apenas de destacar os 150 metros finais, a cerca de 6% de inclinação, que não deverão causar grandes problemas já que os ciclistas vem previamente embalados e em ligeira descida.


O percurso inicia-se em frente ao Jardim de Sagres, com a Ponta de Sagres como pano de fundo.
Imagem


Em seguida, os ciclistas seguem junto ao mar, passando ao lado da Praia da Baleeira e Praia da Martinhal
Imagem

Imagem


De seguida os ciclistas viram ligeiramente para interior, onde vão ter de lidar com algumas zonas técnicas antes de passarem pelo parque de campismo, e virarem à esquerda para estarem de novo com o mar do lado direito.
Imagem


Na rotunda seguinte os ciclistas tornam à direita, e enfrentam a recta final, em paralelo. De notar a ligeira inclinação nos metros finais.
Imagem


A meta é na estrada na parte inferior da imagem, antes da curva à esquerda.
Imagem


Mais algumas fotos panorâmicas da Ponta de Sagres e respectiva fortaleza.
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


E claro, é impossível deixar de passar por Sagres sem esta música como pano de fundo:


[*]1ª Etapa - 3/Agosto/17 (5ªFeira)
Jardas
Aljezur - Pulo do Lobo (202.1 km)

Depois do prólogo em Sagres, os corredores da Volta a Portugal PCM continuam a sua marcha e deslocam-se em relação ao interior do Alentejo! Com partida simbólica no castelo da vila algarvia de Aljezur, e partida real junto à respectiva Câmara Municipal, o pelotão prepara-se para uma jornada de 202,1 km que os farão seguir até à cascata do Pulo do Lobo, um dos ex libris turísticos do Parque Natural do Vale do Guadiana. Á partida, os espectadores dirão que se trata de uma etapa simples, mas os especialistas da região falam numa simplicidade mascarada!

Os primeiros quilómetros serão duros, com três subidas categorizadas logo na Serra de Monchique! A primeira e mais dura de todas, classificada como uma 3ª categoria, trata-se de uma íngreme escalada que levará o pelotão até Padescas, nesta brusca mudança de altitude entre a plana vila de Aljezur e o contacto com a Serra. Seguem-se as duas 4ªs categorias, na Corte Pereiro e nas Corchas, sem tempo para descanso, garantindo muita acção neste início de etapa! A disputa pela classificação da montanha logo nas primeiras pedaladas deverá deixar marcas em grande parte dos participantes, pelo que se espera uma razoável selecção no pelotão da Volta para encarar o que resta da tirada.
Ainda dentro do percurso rompe-pernas que marca a primeira metade da inaugural etapa em linha da Volta, surge o primeiro sprint intermédio da corrida, situado na freguesia de São Marcos da Serra, ao quilómetro 63.6. As paisagens da Barragem de Odelouca prometem marcar esta passagem pela vertente SE da Serra de Monchique.

É a partir da zona de abastecimento em Ourique que as coisas ficarão mais calmas, sensivelmente a meio da etapa. No entanto, as dificuldades não diminuem, porque os termómetros assinalam bastante mais calor agora do que no início da etapa, junto ao Oceano Atlântico. Já no caminho para Mértola, pelo IP2, os ciclistas passam por Castro Verde, num par de quilómetros bastante técnicos. Chegados a Mértola, terão à sua espera um pequeno circuito dentro da vila, com passagem pela Rotunda da Caça, Mesquita, Castelo e respectivas muralhas e pelos Bombeiros Municipais. Apesar de surgir com pouco detalhe no perfil da etapa, este percurso é bastante duro e apresenta troços com inclinações a rondar os 16%! Para além das inclinações da estrada, o pavimento também não é o mais fácil para andar de bicicleta, uma espécie de paralelo embricado (como podem ver no 1º link do Instagram). A selecção será feita e quem perder aqui o contacto já não estará na luta pela vitória.

Terminado este circuito é altura de circular a grande velocidade até à Mina de São Domingos, onde a atracção principal será a praia fluvial da Tapada Grande, onde de certo estarão muitos adeptos para saudar a caravana da Volta! O final da etapa aproxima-se a passos largos e chegamos então à estrada que faz a ligação até à cascata do Pulo do Lobo. Estes 2.2 quilómetros finais serão percorridos em sterrato, mas as dificuldades em segurar as "naves a pedal" serão todas esquecidas quando o pelotão chegar, completamente partido, à paisagem idílica da mais famosa garganta do Guadiana, o Pulo do Lobo! Recomenda-se novamente a visualização da galeria de fotos, abaixo.

Perfil:

Imagem

Mapa:

Imagem


Galeria de Fotos:
Castelo de Aljezur e câmara municipal da mesma vila. Local da partida simbólica e da partida real, respectivamente.

Imagem

Imagem

Barragem de Odelouca com a Serra de Monchique como pano de fundo.

Imagem

Vista do castelo de Mértola com a Mesquita imediatamente abaixo. Dá para perceber a dureza da subida até ao castelo desde a parte mais plana da vila.

Imagem

Pormenor do pavimento da subida para o castelo.

https://www.instagram.com/p/slWTs-NZlF/

Praia Fluvial da Tapada Grande, na Mina de São Domingos, e respectivos adeptos ( :mrgreen: )

Imagem

https://www.instagram.com/p/qaQUz_mCwx/

Sterrato que leva os ciclistas até ao Pulo do Lobo

Imagem

Local escolhido para acolher a chegada, no miradouro do Pulo do Lobo.

Imagem

Exemplos das fantásticas fotografias que se tiram no local de chegada

Imagem
Imagem


[*]2ª Etapa - 4/Agosto/17 (6ªFeira)
Jbtour
Beja – Santarém (190 km)
Uma ligação relativamente plana mas com um final interessante na capital de distrito Santarém:

Imagem

Este é o perfil:
Imagem

Três sprints intremédios, em Ferreira do Alentejo, Montemor-o-Novo e Coruche, com uma contagem de montanha de quarta categoria pouco antes de Montemor-o-Novo em Santiago do Escoural.

O Final porém é particularmente interessante com duas abordagens em subida à cidade de Santarém.
A primeira dessas abordagens é a Subida das Portas do Sol, que tem inicio assim que terminar a travessia da ponte de D.Luis

Imagem

A percentagem média é 5% e a duração cerca de 1KM e meio, porém é suficiente para atacar a corrida com pontos acima dos 7%, ficam algumas fotos:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A segunda abordagem montanhosa não é categorizada devido a sua curta duração porém é muito dura com percentagens a chegar perto dos 11%, com certeza ditará o vencedor final:

Imagem

Imagem

Imagem

Os últimos KM são sempre em estraga larga, com apenas uma curva mais complicada em 180º mais ainda algo longe do final:

Imagem

A reta da meta é bastante larga e em ligeira subida:

Imagem

O Final tem imenso espaço para receber a caravana, uma vez que se localiza junto a Praça de Touros de Santarém, que possui um grande parque de estacionamento que costuma receber eventos de grande dimensão:

Imagem

Em relação a outros pontos de interesse temos:

Beja:

Imagem

Coruche

Imagem

Montemor-o-Novo

Imagem

Imagem

Almeirim

Imagem

Santarém:

Imagem

Imagem



E é tudo, alguma duvida sobre o percurso é perguntar, no fundo acho que é essencial ter uma passagem pelo Ribatejo, região esquecida à demasiado tempo pela Volta.


[*]3ª Etapa - 5/Agosto/17 (Sábado)
Hugo Contador
Cartaxo- Grutas de Mina de Aire (175.8 km)

Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Últimos 5 Km's
Imagem

Contagens de montanha
Km 24.1 - Alto da Ota (1.8 km a 6.7% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 36.9 - Portela(6.0 km a 2.7% de inclinação média): 4ªcategoria
Km 51.3 - Alto de Pragança (7.0 km a 4.1% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 72.3 - Alto do Montejunto (8.1 km a 5.3% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 125.1 - Alto de Acobertas (6.9 km a 5.0% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 134.9 - Portela do Pereiro (3.6 km a 6.4% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 148.9 - Portela do Vale de Espinho (3.9 km a 4.6% de inclinação média): 4ªcategoria
Km 159.1 - Portela do Livramento (1.7 km a 5.8% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 167.5 - Rampa de Alvados (2.1 km a 8.4 de inclinação média): 3ªcategoria
Km 169.8 - Carrascos (0.7 km a 7.1% de inclinação média): 4ªcategoria
Km 178.6 - Mira de Aire (0.8 km a 10.9% de inclinação média): 4ªcategoria

A 3ª etapa da Volta a Portugal parte da localidade de Cartaxo para terminar após 185 km's em Mira de Aire e que atravessará os parques do Montejunto e Aire e Candeeiros .
A etapa tem um perfi rompe-pernas que culminará com a rampa final ao chegar á meta que fará algumas diferenças.


[*]4ª Etapa- 6/Agosto/17 (Domingo)
tozequio
Fátima - Piódão (178.5 km)
Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Contagens de montanha
Km 37.6 - Sobralchão (6.1 km a 3.8% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 59.7 - Casal de São Simão (3.0 km a 5.0% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 66.7 - Casal dos Ferreiros (4.2 km a 4.6% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 108.5 - Braçal (16.0 km a 4.2% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 135.3 - Gavião (8.2 km a 3.2% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 139.7 - Armadouro (2.7 km a 6.2% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 150.3 - Portela de Unhais (4.7 km a 3.3% de inclinação média): 4ªcategoria
Km 159.4 - Meãs (6.4 km a 5.4% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 171.8 - Alto da Fórnea (3.5 km a 8.2% de inclinação média): 2ªcategoria

A 4ªetapa da Volta a Portugal PCM-Portugal parte de Fátima, onde os ciclistas serão abençoados antes de um dia que se espera de muita dureza! Teremos pela frente 9 montanhas categorizadas, para além de outras pequenas subidas, num dia em que o desnível positivo se aproxima dos 4000 metros. Talvez um dia destinado à fuga, quando estamos praticamente na porta de entrada da Serra da Estrela!

Descrição mais detalhada da etapa:
A partida simbólica será dada em frente ao Santuário de Fátima.
Imagem

Imagem

Por sua vez, a partida real ocorre já na EN 356, em direcção a Ourém
Imagem

A contagem de montanha inicial do dia, a primeira de muitas de 3ªcategoria, está situada em Sobralchão. Os ciclistas seguem em seguida para a sede do concelho, em Alvaiázere, onde encontrarão a primeira meta volante do dia.
Imagem

Imagem

Em seguida o pelotão dirige-se para o IC8, onde encontra duas contagens de montanha de 3ªcategoria, nos arredores de Casal São Simão e Casal dos Ferreiros. A meta volante seguinte está instalada em Pedrógão Grande, numa fase com terreno já algo acidentado, e muito próximo do Rio Zêzere.
Imagem

Ultrapassada esta vila, aproximamo-nos de terreno mais montanhoso, com a restante etapa a disputar-se praticamente na sua totalidade na Serra do Açor. A primeira dificuldade desta cadeia montanhosa é uma contagem de montanha de 2ªcategoria, em Braçal, numa longa subida de 16 quilómetros, e que já deverá fazer alguma selecção.
Imagem

Imagem

Finda a também longa descida até Pampilhosa da Serra, os ciclistas ultrapassam o rio Unhais, e logo depois têm pela frente uma rápida sucessão de 5 contagens de montanha em menos de 40 quilómetros. No início da subida teoricamente mais fácil do dia, para Portela de Unhais, os ciclistas passarão ao lado da Albufeira da Barragem de Santa Luzia, que promete proporcionar belíssimas imagens aéreas.
Imagem

Imagem

Imagem

Logo após, a caravana ultrapassa a localidade de Unhais-o-Velho, onde está situada a última meta volante do dia, e começam a abordar as 2 últimas contagens de montanha, ambas de 2ªcategoria. A subida para Meãs tem mais de 6 quilómetros, mas a "apenas" 5.4% de inclinação média, mas a subida para o Alto da Fórnea, já localizada a quase 1100 metros de altitude, apesar de curta (pouco mais de 3 quilómetros) tem rampas acima dos 11%, que prometem provocar grandes estragos! Daqui avista-se o ponto mais alto da Serra do Açor, o Pico de Cebola, já com a Serra da Estrela como pano de fundo!
Imagem

Imagem

Finda a descida, os ciclistas abordam uma fase algo acidentada, para um final na maravilhosa aldeia histórica do Piódão, que irá também proporcionar imagens fabulosas! O casario em xisto é um regalo para a vista.
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Local onde ficará instalada a linha de meta, um pouco antes da entrada na Aldeia do Piódão (por motivos logísticos), com magníficas vistas para a Serra do Açor.
Imagem


[*]5ª Etapa- 7/Agosto/17 (2ª Feira)
Hugo Contador
Covilhã - Penhas Douradas (Manteigas) (180.0 km)
http://www.la-flamme-rouge.eu/maps/viewtrack/hd/74315

Perfil
Imagem


Contagens de montanha
Salgueira (4ª Categoria, 669 m, 5.5 Km at 3.5%, Km 9.1),
Torre (Categoria Especial, 1940 m, 24.7 Km at 5.7%, Km 38.1)
Lagoa Comprida (Categoria Especial, 1646 m, 17.9 Km at 6.1%, Km 82.0)
St. Estevão (1ª Categoria, 1334 m, 11.0 Km at 7.3%, Km 110.7)
Folgosinho (1ª Categoria, 1257 m, 10.2 Km at 6.9%, Km 142.7)
Covão da Ponte (3ª Categoria, 1087 m, 2.9 Km at 4.6%, Km 153.9)
Poço do Inferno (1ª Categoria, 1088 m, 4.0 Km at 9.5%, Km 168.5)
Campo da Bola (1ª Categoria, 1181 m, 4.4 Km at 9,0%, Chegada)

Metas Volante
Unhais da Serra (635 m, Km 18.0)
Seia (545 m, Km 100.2)
Gouveia (695 m, Km 126.4)

Reabastecimento
Valezim (718 m, Km 67.9)

Troço de Terra
1. Covão do Ferro (++, 2000 m, Km 29.1).

[*]Descanso- 8/Agosto/17 (3ª Feira)
Coimbra
[*]6ª Etapa- 9/Agosto/17 (4ª Feira)
Wekzyrho
Coimbra - Base Militar S. Jacinto (192 km)
Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Contagens de montanha
Km 30.7 - Buçaco (2.7 km a 4.5% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 80.1 - Talhadas (6.4 km a 4.2% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 101.4 - Srª da Saúde (12.1 km a 4.1% de inclinação média): 1ªcategoria


A 6ªetapa da Volta a Portugal PCM-Portugal parte de Coimbra, onde no dia anterior se realizou o descanso dos ciclistas, mas onde a cidade acolheu a Etapa da Volta com uma participação recorde, onde fizeram parte do percurso apresentado, a noite musica com as tunas da Universidade de Coimbra. Nesta etapa os ciclistas terão pela frente 3 montanhas categorizadas, para além de outras pequenas subidas, num dia em que o desnível positivo se aproxima dos 2500 metros. Apesar de alguma dureza é de esperar uma chegada ao sprint dentro da Base Militar de S. Jacinto, ou talvez a fuga aproveite a dureza e não deixe o pelotão anular.

Descrição mais detalhada da etapa:
A partida simbólica será dada na avenida Sá Bandeira.
Imagem

Imagem

A partida real ocorre na Estrada de Eiras.
Imagem

A contagem de montanha inicial do dia, a primeira de 3ªcategoria, está situada no Buçaco. Os ciclistas seguem em seguida para a primeira meta volante do dia.
Imagem

Imagem

Imagem

Em seguida o pelotão dirige-se para Águeda , onde encontra um meta volante e o inicio da subida das duas contagens de montanha que faltam.

Imagem

Ultrapassada Águeda, aproximamo-nos de terreno mais montanhoso. A primeira dificuldade é uma contagem de montanha de 2ªcategoria, nas Talhadas , e após uma descida rápida começa a subida para a montanha de 1ª categoria.

Imagem

Imagem

A etapa segue para uma meta volante em Oliveira de Azeméis .
Imagem

Logo após, a etapa fica mais plana e segue-se em direcção ao mar, onde está situada a última meta volante do dia, em Ovar, e começa a fase final da etapa onde o vento pode provocar cortes, depois dos 2500 metros de acumulado as dificuldades pode não parecer tão duras como serão com vento.

Imagem

A linha de meta é instalado dentro das instalações da Base Militar de São Jacinto (por motivos logísticos), com magníficas vistas sobre a Ria de Aveiro e Farol da Barra.

Imagem

[*]7ª Etapa - 10/Agosto/17 (5ª Feira)
tozequio
São Pedro do Sul - Arouca Geopark (184.7 km)
http://www.la-flamme-rouge.eu/maps/viewtrack/hd/77817

Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Últimos quilómetros
Imagem

Contagens de montanha
Km 11.9 - São Macário (8.8 km a 8.5% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 38.4 - Portas do Montemuro (15.9 km a 6.1% de inclinação média): categoria especial
Km 54.3 - Casais (5.8 km a 7.5% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 68.6 - Vila Galega (5.0 km a 4.1% de inclinação média): 4ªcategoria
Km 77.8 - Pereiró (1.9 km a 10.7% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 89.3 - Regoufe (9.4 km a 6.9% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 94.4 - Portal do Inferno (3.1 km a 6.4% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 128.2 - Serra da Arada (7.4 km a 8.6% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 144.9 - Serra da Freita (7.4 km a 5.5% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 164.4 - Figueiredo (1.7 km a 12.1% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 184.7 (META) - Arouca Geopark (11.2 km a 7.2% de inclinação média): 1ªcategoria

A 7ªetapa da Volta a Portugal PCM-Portugal irá ultrapassar estradas raramente percorridos ao longo das quase 9 décadas de história da corrida, num dia que promete ser verdadeiramente épico, com uma chegada ao alto inédita. Um desnível acumulado superior aos 6000 metros aguarda o pelotão, num dia que pode ser demolidor e decisivo para as contas finais da Volta a Portugal. E a prova que não é só na Serra da Estrela que é possível desenhar etapas de alta montanha!

Descrição mais detalhada da etapa:
A partida simbólica será dada em São Pedro do Sul, na Rua de Camões, em frente ao Jardim da Cidade, e à Câmara Municipal de São Pedro do Sul

Imagem

Imagem


Daqui os ciclistas seguem praticamente junto às margens do Rio Sul, onde será dada a partida real para a etapa.

Imagem


Logo ao quilómetro 3, na localidade do Sul está instalada o primeiro sprint intermédio do dia.

Imagem


À saída do Sul, e depois de ultrapassado o Rio Sul, começa a subida para São Macário! Os ciclistas não irão mesmo até ao topo, já que se encontra numa estrada sem saída, mas ainda assim a dureza da subida sentir-se-á certamente nas pernas. No alto está instala a primeira contagem de montanha de 1ªcategoria do dia.

Imagem

Imagem


Após breve descida os ciclistas voltam novamente a subir para a Serra do Montemuro, numa subida feita em 2 fases com uma pequena descida pelo meio. Aqui os ciclistas atingem o ponto mais alto do dia, a mais de 1200 metros de altitude. Esta é a subida mais dura da jornada, de categoria especial.

Imagem

Imagem

Imagem


Os ciclistas voltam a descer rapidamente, desta vez em direcção a Cinfães, mas antes de lá chegarem cortam à esquerda para nova subida na Serra do Montemuro, desta vez para Casais, de 2ªcategoria.

Imagem

Imagem


Nova descida alucinante para Vila Galega, onde se situada a subida mais acessível do dia, de apenas 4ªcategoria.

Imagem

Imagem


Ultrapassada a localidade de Vila Galega os ciclistas descem em direcção ao Rio Paiva, para rapidamente começarem a subir de novo para uma contagem de 2ªcategoria, situada em Pereiró. Apesar de ter menos de 2000 metros, a subida conta com rampas verdadeiramente alucinantes.

Imagem

Imagem


Em seguida os ciclistas descem novamente em direcção ao Rio Paiva, onde começa mais uma das subidas que irá marcar a jornada, para Regoufe, de 1ªcategoria.

Imagem

Imagem


Após a passagem em Regoufe, o pelotão aborda praticamente de imediato nova subida de 3ªcategoria para o Portal do Inferno, com rampas finais de grande inclinação, e uma panorâmica absolutamente fantástica.

Imagem

Imagem

Imagem


Em seguida os ciclista ultrapassam uma fase de planalto para depois enfrentarem a fase mais fácil da etapa, com cerca de 20 quilómetros em descida e plano. Antes da subida seguinte está o sprint intermédio, colocado em Santa Cruz da Trapa.

Imagem


As dificuldades regressam logo após, com a subida para a Serra da Arada, de 1ªcategoria. Os quase 9% de inclinação média deixarão os sobreviventes em grandes dificuldades.

Imagem

Imagem


Nova descida, e logo a seguir nova subida, desta vez de 2ªcategoria, para a Serra da Freita. Para felicidade dos ciclistas esta é uma das mais fáceis vertentes para se subir a Freita, que apresenta paisagens magníficas, como a famosa Frecha da Mizarela.

Imagem

Imagem

Imagem


O pelotão passa em seguida por Chão d'Ave mas, ao invés de dirigir-se directamente para Arouca, em direcção à subida final, tem ainda uma pequena maldade pela frente. A subida para Figueiredo, de apenas 1700 metros, mas com uma inclinção média acima dos 12%!

Imagem

Imagem


Depois de algum sobe e desce, o pelotão chega finalmente a Arouca, onde está a instalada o último sprint intermédio do dia.

Imagem

Imagem


A partir daqui é sempre a subir até à meta. Pela frente os ciclistas terão de enfrentar a escalada ao topo da Serra da Freita, pelos fabulosos caminhos do Arouca Geopark.

Imagem


A subida final é de 1ªcategoria, e com extrema dureza nos últimos 2500 metros, a cerca de 10% de inclinação. A lei do mais forte vai certamente imperar no topo da Serra da Freita!

Imagem

Imagem

Imagem


O local da meta, junto ao Parque Eólico da Serra da Freita, com bastante espaço logístico para a caravana.

Imagem

[*]8ª Etapa - 11/Agosto/17 (6ª Feira)
dvdgms
Vale de Cambra - Cinfães (170.44 Km)

Imagem
http://www.la-flamme-rouge.eu/maps/viewtrack/hd/81405

SPRINTS INTERMÉDIOS: Arouca (276 m, Km 39.9)
Parada de Ester (440 m, Km 80.3)
Pias (86 m, Km 117.1)

PRÉMIOS DE MONTANHA: Serra da Freita (1ª Categoria, 1004 m, 13.3 Km a 5.4%)
Alto do Gamarão (3ª Categoria, 630 m, 7.0 Km a 4.8%)
Alto de Santo António (3ª Categoria, 630 m, 12.5 Km a 3.6%)
Montemuro (1ª Categoria, 1206 m, 10.6 Km a 7.2%)
Ervilhais (1ª Categoria, 838 m, 12.8 Km a 5.9%,)
Nespereira (2ª Categoria, 669 m, 4.6 Km a 8.3%)
Cinfães (3ª Categoria, 406 m, 6.7 Km a 4.6%).


Demorou a sair cá pra fora mas aqui está a minha etapa. Uma ligação montanhosa e dura que revisita as subidas da Serra da Freita mas terá a Serra de Montemuro como decisor final, numa tirada com um perfil de constante sobe e desce e que vai pôr à prova o pelotão depois da já dura etapa anterior.

Arranque da tirada em Vale de Cambra, logo com uma subida de primeira categoria a abrir o apetite. Os corredores aventuram-se pelo segundo dia nas encostas da Serra da Freita que terá papel decisivo para a formação da fuga do dia e poderá reduzir o pelotão caso o arranque seja feito a alta velocidade. Descida para a Arouca para a primeira meta volante do dia que antecipa as subidas de terceira categoria do Alto Gamarão e do Alto de Santo António que levam os corredores desde a zona da Serra da Freita para a Serra de Montemuro.
Antes de se iniciar a subida ao topo da Serra de Montemuro haverá uma nova meta volante, desta vez em Parada de Ester. A segunda grande montanha do dia, a Serra do Montemuro, será o grande obstáculo da tirada com os seus 10km a mais de 7% de inclinação a média a marcarem o início do carrossel de subidas final. Descida até às margens do Douro para uma primeira subida até à cidade de Cinfães, mas desta vez não ficam por aqui e vão até Ervilhais, onde está instalada mais uma montanha de primeira categoria. Segue-se o prémio de montanha mais inclinado do dia, apesar de ser apenas de segunda categoria a subida para Nespreira tem 8% de média nos seus cerca de 5km, com rampas na casa dos 10%. Novamente seguem para as margens do Douro, com algumas pequenas rampas pelo meio e afrontam a subida final para a cidade de Cinfães, onde está instalada a meta com um prémio de montanha de 3ª categoria que promete deixar marcas aos já desgastados corredores. 170km de alta montanha, com mais 4500m de desnível.[/font]



[*]9ª Etapa - 12/Agosto/17 (Sábado)
tozequio
Amarante - Senhora da Graça (176.8 km)

http://www.la-flamme-rouge.eu/maps/viewtrack/hd/83047

Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Últimos quilómetros
Imagem

Contagens de montanha
Km 19.8 - Alto de Espinho (10.7 km a 7.0% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 49.8 - Barragem do Alvão (9.1 km a 7.3% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 97.6 - Monte do Viso (9.5 km a 6.0% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 121.1 - Ponte de Olo (4.9 km a 4.5% de inclinação média): 3ªcategoria
Km 136.0 - Alto do Velão (12.2 km a 6.2% de inclinação média): 1ªcategoria
Km 155.5 - Fisgas de Ermelo (5.5 km a 6.4% de inclinação média): 2ªcategoria
Km 176.8 (META) - Senhora da Graça (8.4 km a 7.3% de inclinação média): 1ªcategoria

A última etapa em linha da Volta a Portugal termina na icónica Senhora da Graça, no topo do Monte Farinha. Os ciclistas terão pela frente um percurso algo tradicional nas etapas com final na Senhora da Graça, sendo que o desnível acumulado acima dos 5000 metros deverá sentir-se de forma brutal ao nono dia de competição. Em véspera do contra-relógio final, os trepadores terão aqui a última oportunidade para recuperar tempo.

Descrição mais detalhada da etapa:
A partida simbólica será dada em Amarante, em frente à belíssima Igreja de São Gonçalo, junto ao rio Tâmega, e em frente à simbólica Ponte de São Gonçalo, cujas origens remontam aos tempos romanos.

Imagem

Imagem

Imagem


A caravana dirige-se pelo centro histórico da cidade, subindo até à parte alta da cidade, onde irá encontrar a Estrada Nacional 15. Após a passagem pela ponte sobre o Rio Tâmega, será dada a partida real da etapa!

Imagem

Os ciclistas enfrentarão uma primeira fase da etapa sempre em ligeiro falso plano, até que ao quilómetro enfrentam a primeira grande dificuldade do dia, a subida para o Alto de Espinho, na Serra do Marão. A subida é inédita, já que será feita no antigo IP4, uma vez que o tráfego rodoviário tem agora o túnel do Marão para se poder deslocar de forma mais rápida entre Amarante e Vila Real. É uma subida muito dura, com percentagens nunca abaixo dos 6%. Os mais de 10 quilómetros irão certamente fazer uma primeira selecção. Mas desta vez, felizmente, os ciclistas não terão que enfrentar o maior motivo de interesse turístico deste local.

Imagem

Imagem


Em seguida descida rápida e sem grandes dificuldades do ponto de vista técnico para Vila Real, onde está instalado o primeiro sprint intermédio do dia.

Imagem

Imagem


Os ciclistas não têm descanso, já que logo de seguida terão pela frente a passagem pela Barragem do Alvão, já tantas vezes percorrida na Volta a Portugal, sendo um "habitué" da etapa da Senhora da Graça. O empedrado na fase inicial da subida pode deixar marcas!

Imagem

Imagem

Imagem


Pela frente estará depois uma zona de quase 40 quilómetros em descida e plano, que servirá para acalmar as pernas e retemperar energias para o que ainda vem por aí. Por volta do meio da etapa, os ciclistas retomam as subidas, com mais uma contagem de montanha de 1ªcategoria para ultrapassar, desta vez no Monte do Viso. Rampas acima dos 15% aguardam o pelotão!

Imagem

Imagem

Imagem


Os ciclistas têm agora pela frente uma descida até Cabeceiras de Basto, onde está instalado o segundo sprint intermédio do dia

Imagem

Imagem


Logo em seguida os ciclistas começam a subir de novo para Ponte de Olo. Desta vez é uma contagem de 3ªcategoria, que servirá de aperitivo para o que aí vem. O temível Alto do Velão! A mais longa subida do dia apresenta 12.2 km a 6.2% de inclinação média. Está situada a pouco mais de 40 quilómetros da chegada, pelo que já deverá passar um grupo bastante restrito no seu topo.

Imagem

Imagem


Os 15 quilómetros seguinte serão percorridos a grande velocidade, para depois o pelotão (ou o que resta dele...) enfrentar a penúltima subida do dia, para as Fisgas do Ermelo. É "apenas" uma subida de 2ªcategoria, mas as rampas acima de 10% já dentro dos 2 quilómetros finais deixarão em fogo as pernas dos hérois da estrada. Não estarão certamente capazes de apreciar as fabulosas paisagens da cascata das Fisgas do Ermelo.

Imagem

Imagem


Nova descida e já estamos em Mondim de Basto, onde será ultrapassado o terceiro e último sprint intermédio do dia. A multidão estará aglomerada em torno da estrada, em imagens que fazem lembrar o Tour de France!

Imagem

Imagem


Um ligeiro falso plano aguarda os ciclistas antes de atacarem a mítica subida para a Senhora da Graça! Milhares de adeptos em ambiente de festa (incluindo alguns do PCM-Portugal) estarão junto à estrada a aplaudir os seus heróis na subida final da Volta a Portugal!

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


O local da chegada, como é habitual, no topo do Monte Farinha.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

[*]10ª Etapa - CRI - 13/Agosto/17 (Domingo)
tozequio
Porto (Alfândega) - Porto (Avenida dos Aliados) (39.9 km), contra-relógio individual
http://www.la-flamme-rouge.eu/maps/viewtrack/hd/86884

Perfil
Imagem

Mapa
Imagem

Últimos quilómetros
Imagem[/URL]
Imagem

Subidas relevantes
Km 29.3 - Marquês do Pombal: 2.6 km a 5.1% de inclinação média (2.0 km em empedrado)

Último dia da Volta a Portugal, com todas as decisões a ficarem reservadas para o contra-relógio final no Porto. Um percurso para especialistas de quase 40 quilómetros, no fantástico cenário da Invicta, que irá marcar o desfecho desta Volta a Portugal PCM-Portugal, com a chegada no salão de visitas da cidade, a Avenida dos Aliados!

Descrição mais detalhada da etapa:
A rampa de saída para o contra-relógio final situar-se-á em frente à Alfândega do Porto, junto ao Rio Douro.

Imagem

Imagem


Os ciclistas iniciam o contra-relógio em direcção à Foz do Douro, que darão certamente fantásticas imagens televisivas.

Imagem

Imagem


Efectuada a fase inicial em direcção ao mar, o percurso continua para norte, paralelamente ao mar, onde o traçado totalmente plano e o vento, que poderá soprar de frente, podem desfavorecer os ciclistas mais leves. O Castelo do Queijo e o Edifício Transparente são muitas das atracções turísticas desta zona.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Pouco após a passagem pelo Edifício Transparente, os ciclistas viram à direita na Rotunda da Anémona para a Estrada da Circunvalação, onde tinha lugar a meta do famoso Circuito da Boavista.

Imagem

Imagem

Imagem


A estrada começa gradualmente a subir até ao primeiro ponto intermédio no km 11.0, situado logo após a Rotunda AEP, junto ao NorteShopping.

Imagem

Imagem


Daí em diante o percurso é maioritariamente rolante, sem grandes dificuldades técnicas durante um período de aproximadamente 10 quilómetros, onde os ciclistas irão continuar na Estrada da Circunvalação. Com as longas rectas e o terreno plano, os especialistas no esforço individual terão certamente grandes dificuldades em cumprir os limites de velocidade...

Imagem

Imagem

Imagem


O cenário começa a mudar com o aproximar ao Rio Douro, com a estrada a tornar-se mais sinuosa e estreita e em descida.

Imagem

Imagem


Após passagem por 2 rotundas, os ciclistas voltam a ter o Rio Douro do seu lado esquerdo, com o percurso a tornar-se plano até ao km 27.1, onde está instalado o segundo ponto intermédio, junto ao tabuleiro inferior da Ponte D.Luís.

Imagem

Imagem


Mais uma vez as vistas aéreas sobre o Douro, e as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia serão fenomenais.

Imagem

Imagem

Imagem


Passado o ponto intermédio, os ciclistas ultrapassam o Túnel da Ribeira, e começam a única verdadeira subida do dia, que os vai levar da baixa até à Praça do Marquês de Pombal, no topo da Rua de Santa Catarina.

Imagem

Imagem


São apenas 2.6 km a 5.1% de inclinação, mas os 2 primeiros quilómetros são feitos no tradicional empedrado da cidade invicta, o que poderá provocar mais dificuldades do que o inicialmente previsto! Os ciclistas irão passar pela Rua Mouzinho da Silveira, Rua Sá da Bandeira e Rua Gonçalo Cristóvão, até chegarem finalmente ao tão ansiado asfalto da Rua de Santa Catarina.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Pelo meio atravessa-se alguns locais icónicos da cidade, como a Estação de São Bento, a Praça D.João I e Teatro Rivoli, e o Mercado do Bolhão

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Ultrapassado a maior dificuldade do dia, os ciclistas dirigem-se para a zona poente da cidade através da Rua da Constituição, e regressam ao coração do Porto pela Avenida da Boavista, Rotunda da Boavista, Rua de Álvares Cabral, Praça da República e Rua de Camões, até à zona da Trindade.

Imagem

Imagem

Imagem


A partir daqui os ciclistas entram rapidamente na Avenida dos Aliados, percorrendo-a primeiro no sentido descendente, para depois atravessarem a Praça da Liberdade e tomarem o sentido inverso da Avenida, com a linha de meta a estar colocada praticamente em frente à Câmara Municipal do Porto, local tradicional das chegadas à Cidade Invicta na Volta a Portugal e Grande Prémio Jornal de Notícias.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Todas as cerimónias do pódio terão como pano de fundo a imponente Câmara Municipal do Porto, onde uma multidão certamente irá consagrar o vencedor final da Volta a Portugal PCM-Portugal!

Imagem

Imagem



Obrigado desde já....

_________________
Imagem


Imagem


Editado pela última vez por Wekzyrho em 11 Nov 2016, 22:36, num total de 142 vezes.

Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 01:28 
Membro de Platina
Membro de Platina

Registado: 19 Jun 2012, 20:31
Mensagens: 12336
Localização: Viseu
#TrabalhaDavide

Enviado do meu CHC-U01 através de Tapatalk


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 09:44 
Ciclista sub-23
Ciclista sub-23

Registado: 07 Nov 2015, 16:18
Mensagens: 520
Quero dar os meus parabéns a quem esteve esta ideia . eu vou ajudar , eu por acaso neste últimos dias tinha feitos umas brincadeiras não achas que só daqui a 1 mês ,não e muito tempo até la podias adiantar !


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 09:53 
Vencedor da Vuelta
Vencedor da Vuelta
Avatar do Utilizador

Registado: 05 Ago 2014, 15:09
Mensagens: 1996
Oliveiras Escreveu:
Quero dar os meus parabéns a quem esteve esta ideia . eu vou ajudar , eu por acaso neste últimos dias tinha feitos umas brincadeiras não achas que só daqui a 1 mês ,não e muito tempo até la podias adiantar !


Estou a dar algum tempo para definir os 3 tópico que deixei no "ar"... Logo que se isso esteja concluído, acabo as regras e iniciamos o prologo!
Desde já Obrigado

_________________
Imagem


Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 11:58 
Membro de Bronze
Membro de Bronze
Avatar do Utilizador

Registado: 29 Set 2015, 17:43
Mensagens: 2780
Excelente ideia! =D> Em resposta às sugestões em construção:

Penúltima etapa para o CRI
Deve ser o básico de kms (mais de 100 e menos de 230)
Acho que devemos usar o cronoescalada


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:23 
Vencedor da Vuelta
Vencedor da Vuelta
Avatar do Utilizador

Registado: 05 Ago 2014, 15:09
Mensagens: 1996
Cyclingtuga Escreveu:
Excelente ideia! =D> Em resposta às sugestões em construção:

Penúltima etapa para o CRI
Deve ser o básico de kms (mais de 100 e menos de 230)
Acho que devemos usar o cronoescalada


Obrigado
Achas que deve-se definir etapa x é de montanha ou sprinter ou deixar a criatividade do pessoal?

_________________
Imagem


Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:26 
Membro de Bronze
Membro de Bronze
Avatar do Utilizador

Registado: 29 Set 2015, 17:43
Mensagens: 2780
Wekzyrho Escreveu:
Cyclingtuga Escreveu:
Excelente ideia! =D> Em resposta às sugestões em construção:

Penúltima etapa para o CRI
Deve ser o básico de kms (mais de 100 e menos de 230)
Acho que devemos usar o cronoescalada


Obrigado
Achas que deve-se definir etapa x é de montanha ou sprinter ou deixar a criatividade do pessoal?


Criatividade do pessoal 8)


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:28 
Vencedor da Vuelta
Vencedor da Vuelta
Avatar do Utilizador

Registado: 05 Ago 2014, 15:09
Mensagens: 1996
Cyclingtuga Escreveu:
Wekzyrho Escreveu:
Cyclingtuga Escreveu:
Excelente ideia! =D> Em resposta às sugestões em construção:

Penúltima etapa para o CRI
Deve ser o básico de kms (mais de 100 e menos de 230)
Acho que devemos usar o cronoescalada


Obrigado
Achas que deve-se definir etapa x é de montanha ou sprinter ou deixar a criatividade do pessoal?


Criatividade do pessoal 8)


Obrigado....
Fica registado... conforme as opiniões / sugestões isto começa a mexer.... estejam atentos

_________________
Imagem


Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:33 
Membro do Mês
Membro do Mês
Avatar do Utilizador

Registado: 13 Ago 2009, 20:37
Mensagens: 18072
Não achas que seria melhor definir que tipos de etapas e quantas queríamos ter e depois ir definindo as etapas para os tipos pretendidos?

Digo isto só para evitar que, por uma questão de coerência, a Volta começasse em Lisboa, depois terminasse em Fafe, depois em Coimbra, depois em Bragança e depois em Faro. :P

Assim depois no fim de todas as etapas estarem escolhidas ordenava-se o percurso de forma a que fizesse sentido em termos geográficos. Este ou outro método que leve a que tal aconteça. :P

_________________
Imagem
Imagem Imagem Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:34 
Membro de Bronze
Membro de Bronze
Avatar do Utilizador

Registado: 29 Set 2015, 17:43
Mensagens: 2780
Fuji Escreveu:
Não achas que seria melhor definir que tipos de etapas e quantas queríamos ter e depois ir definindo as etapas para os tipos pretendidos?

Digo isto só para evitar que, por uma questão de coerência, a Volta começasse em Lisboa, depois terminasse em Fafe, depois em Coimbra, depois em Bragança e depois em Faro. :P

Assim depois no fim de todas as etapas estarem escolhidas ordenava-se o percurso de forma a que fizesse sentido em termos geográficos. Este ou outro método que leve a que tal aconteça. :P


Boa sugestão.


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:38 
Tá a chorare?
Membro de Platina
Membro de Platina
Avatar do Utilizador

Registado: 06 Jun 2011, 12:07
Mensagens: 15080
Localização: Bastuço S. João - Barcelos
Estava exactamente a pensar no que o Fuji disse, tem de haver uma coerência para não haverem 200km entre a chegada de um dia e a partida de outro. Quanto a definir partida e chegada acho que não é necessário, podes por exemplo dizer a região. Supõe em vez de dizeres etapa com final da Torre pode ser etapa na região da Serra da Estrela porque uma pessoa pode criar uma etapa na Serra da Estrela sem acabar na Torre.

E penso que não há necessidade de se usar o mesmo programa/site para toda a gente.

_________________
Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:43 
CAMPEÓN, ALBERTO CAMPEÓN.
Dobradinha no Tour
Dobradinha no Tour
Avatar do Utilizador

Registado: 17 Ago 2013, 17:48
Mensagens: 3173
É impressão minha ou só se vai jogar em 2017 xDDDDDDDDDDDDDDD

_________________
Imagem


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:46 
Membro de Platina
Membro de Platina

Registado: 19 Jun 2012, 20:31
Mensagens: 12336
Localização: Viseu
CandidoBarbosaPT Escreveu:
É impressão minha ou só se vai jogar em 2017 xDDDDDDDDDDDDDDD

Lê primeiro o 1º post antes de mandares bitaites burros...


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:46 
Membro de Bronze
Membro de Bronze
Avatar do Utilizador

Registado: 29 Set 2015, 17:43
Mensagens: 2780
Quando é que vão dizer os requisitos para o prólogo?


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
 Assunto da Mensagem: Re: Volta a Portugal formato "PCM"
MensagemEnviado: 16 Jun 2016, 12:51 
Ciclista sub-23
Ciclista sub-23

Registado: 07 Nov 2015, 16:18
Mensagens: 520
Cyclingtuga Escreveu:
Fuji Escreveu:
Não achas que seria melhor definir que tipos de etapas e quantas queríamos ter e depois ir definindo as etapas para os tipos pretendidos?

Digo isto só para evitar que, por uma questão de coerência, a Volta começasse em Lisboa, depois terminasse em Fafe, depois em Coimbra, depois em Bragança e depois em Faro. :P

Assim depois no fim de todas as etapas estarem escolhidas ordenava-se o percurso de forma a que fizesse sentido em termos geográficos. Este ou outro método que leve a que tal aconteça. :P


Boa sugestão.


Na minha opinião e como se esta a fazer .
Votação etapa a etapa ! e não havia restrições a nível de local ( claro com os finais e os inicios de etapa pertos uns dos outros)


Eu punha o CRI na ultima etapa .


Topo
 Perfil  
Resposta com citações  
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 463 mensagens ]  Ir para página 1, 2, 3, 4, 5 ... 31  Próximo

Os Horários são TMG [ DST ]


Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante


Criar Tópicos: Proibido
Responder Tópicos: Proibido
Editar Mensagens: Proibido
Apagar Mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Ir para:  
Desenvolvido por phpBB® Forum Software © phpBB Group Color scheme by ColorizeIt!
Traduzido por phpBB Portugal